Posts com Tag ‘Dilema’

dogma 95

Há muito tempo o cinema deixou de ser apenas cultural e se tornou acima de tudo comercial, a indústria que não produz apenas filmes, mas sim que fabrica rios de dinheiro. Muitos discordam dessa postura acham que a essência do cinema se perdeu em meio as evoluções que o cinema sofreu nesse mais de um século de existência, por terem assim pessoas achando que o cinema não é para se ganhar dinheiro, mas sim apenas para disseminar cultura, que em 1995, no simpósio em Copenhague que comemorava o centenário do cinema mundial que foi apresentado “O Manifesto” que tinha como sua principal proposta a criação de filmes mais realistas e menos comerciais, fazendo assim a essência do cinema perdida voltar a aparecer na telona.

O Manifesto criado pelos dinamarqueses, Lars Von Trie e Thomas Vinterberg tinha seu alvo principal, que era as superproduções hollywoodiana na qual segundo eles os filmes traziam artificialidade exagerada na qual tira a qualidade dos atores e o poder do diretor. O Manifesto chamado de Dogma 95 vinha acompanhado de um voto de castidade ou os 10 mandamentos que eram:

  • As filmagens devem ser feitas em locais externos. Não podem ser usados acessórios ou cenografia (se a trama requer um acessório particular, deve-se escolher um ambiente externo onde ele se encontre).
  • O som jamais deve ser produzido separadamente da imagem ou vice-versa. (A trilha sonora não poderá, portanto, ser utilizada).
  • A câmera deve ser usada na mão. São consentidos todos os movimentos – ou a imobilidade – devidos aos movimentos do corpo. (O filme não deve ser feito onde a câmera está colocada; são as tomadas que devem desenvolver-se onde o filme tem lugar).
  • O filme deve ser em cores. Não se aceita nenhuma iluminação especial. (Se há luz demais, a cena deve ser cortada, ou então, pode-se colocar uma única lâmpada sobre a câmera).
  • São proibidos os truques fotográficos e filtros.
  • O filme não deve conter nenhuma ação “superficial”. (Em nenhum caso homicídios, uso de armas ou outros).
  • São vetados os deslocamentos temporais ou geográficos. (Isto significa que o filme se desenvolve em tempo real).
  • São inaceitáveis os filmes de gênero.
  • O filme deve ser em 35 mm, standard.
  • O nome do diretor não deve figurar nos créditos.

Achando que ainda a restrição para o cinema deveria ser maior, o dogma 95 teve suas emendas em 2005 sendo acrescentado a sua cartilha de castidade as seguintes regras:

  • A gravação deve ser feita em formato digital.
  • As filmagens devem ocorrer na Escócia;
  • As filmagens não podem ultrapassar o prazo de 6 semanas;
  • O custo total do filme não pode ultrapassar a quantia de um milhão de libras esterlinas.

A ideia foi visto pela ala conservadora com bons olhos, já a área revolucionaria ou tecnológica achou irracional tal proposta, tão irracional a ponto de o próprio dogma cair em contradição sendo que o dogma fala para ser fiel a realidade, porém a realidade é subjetiva por cada pessoa ter uma visão diferente de cada coisa se refletindo em tudo que fazemos, falamos, pensamos, agimos e também reflete no modo em como o filme será feito, a regra é de certa forma tão exagerada que nem seus autores e idealizadores seguirem a risca o que eles mesmos propuseram. No mundo há apenas 100 filmes com o certificado Dogma 95 sendo o primeiro filme a ter tal honra foi Festa de Família (1998) e temos até um brasileiro nessa lista que é Velório em Família de 2010, mas foi o filme Os Idiotas (1998) que mais fez sucesso seguindo as regras propostas no manifesto dos dinamarqueses.

OS IDIOTASOs Idiotas, 1998

Ideias são sempre validas e ajudam a evoluir, não é de todo ruim tal manifesto, porém é de certa forma exagerado ao querer jogar fora muitos dos avanços que o cinema teve é obvio o cinema hoje não é sombra do seu real significado do passado, porém ainda tem o efeito de se comunicar, de se expressar de explanar ideias  e de conscientizar as pessoas a questionarem, lutarem e evoluírem.

Paulo Lima